Eixos temáticos

Eixo temático 1: Tecnologias, Mídias Sociais e Educação

O eixo Tecnologias, Mídias Sociais e Educação tem por finalidade divulgar e aprofundar o estudo sobre a situação do trabalho docente nas escolas a partir da temática das Mídias Sociais que ganha força através das tecnologias e impacta a ação educacional em sala de aula. As mídias sociais agem de forma fluída nos espaços escolares e não escolares, sendo aceitas como forma de comunicação. A discussão visa problematizar  o papel do professor nesse contexto, a fim de esclarecer os usuários sobre o uso indiscriminado das mídias sociais e as situações controversas geradas. Enfatiza a abertura de espaços coletivos de discussão crítica com a mostra de resultados de pesquisas que abordam as teorias, as práticas tecnológicas e educacionais relacionadas à construção de saberes que possam responder a este fenômeno no contexto educacional. Desse modo, são debatidas as estratégias de trabalho que permitem elucidar a importância de sua atuação no contexto escolar e como as tecnologias podem auxiliar o  trabalho em sala de aula a fim de prevenir o uso indevido das suas práticas.

Eixo temático 2: Biopolítica, Barbárie e Educação

O eixo Biopolítica, Barbárie e Educação tem a finalidade de divulgar, refletir e aprofundar o debate de pesquisas desenvolvidas ou em desenvolvimento relacionadas aos dilemas que perpassam as discussões envoltas no contexto de eventos extremos de barbárie e contribuir para a criação de um modelo de formação sensível à prevenção de tragédias e catástrofes coletivas, como como à elaboração do trauma, tendo como parâmetro de compreensão a literatura do testemunho e as iniciativas referentes às experiências do holocausto/genocídio. Enfatiza a discussão crítica e coletiva de resultados de pesquisas que abordam as teorias, as políticas e as práticas relacionadas a conceitos como memória, biopolítica, cuidado de si, resiliência, perfectibilidade, formação, ideologia e invenção como forma de resposta às situações de violência(s) vivenciada(s) no contexto educacional. O pesquisador deverá articular a significação do processo pedagógico encadeando o discurso conjuntamente aos desafios deste novo milênio, considerando a complexidade na formulação e efetivação de práticas não-violentas.

Eixo temático 3: Ensino de Filosofia, Práticas Escolares e Currículo

O respectivo eixo tem a finalidade de produzir discussões acerca das presenças, ausências, continuidades e descontinuidades do ensino de filosofia nos currículos de educação básica e superior. Para isso abre-se a possibilidade de apresentação de pesquisas (concluídas ou em andamento), de práticas escolares ou ensaios filosóficos que problematizam metodologias, tecnologias, conteúdos e diferentes abordagens do ensino de Filosofia e das Ciências Humanas de modo geral. Englobando temas como a Filosofia na Base Nacional Comum Curricular (habilidades e competências), a proposição da Filosofia como estudos e práticas na Reforma do Ensino Médio, bem como os diferentes discursos proferidos que ameaçam a filosofia e sua presença na formação dos estudantes das diversas instituições de ensino, buscamos fomentar um debate em defesa da Filosofia nos diferentes espaços de formação.

Eixo temático 4: Violência, Cultura e Ética no Contemporâneo

O eixo visa refletir e problematizar sobre as violências nas escolas e na sociedade, propondo pensar como ela se manifesta nas diferentes esferas do cotidiano docente e discente, além das consequências para os mesmos. Da mesma forma, busca ponderar sobre a cultura da violência e a cultura de paz, dada a banalização da violência e as iniciativas para a mudança de paradigmas nas relações interpessoais. Pensar o papel da Ética de maneira geral e específica na tarefa de docentes e agentes educacionais poderá elucidar caminhos que percorram a busca por uma educação mais humana em prol da valorização da diversidade social/cultural. Tais experiências e reflexões podem contribuir para uma formação cultural ética que promova a educação como uma alternativa ao empobrecimento do debate democrático, propondo uma cultura escolar que valoriza a diferença e a diversidade no processo civilizatório.

Eixo temático 5:  Escola, Políticas Públicas e Inclusão

Este eixo tem por finalidade problematizar os diferentes aspectos que circundam a escola. Para isso, partimos do pressuposto de que esta é uma instituição onde se possibilita que todos os alunos, independente de suas condições prévias (sociais, econômicas, familiares), tenham igual oportunidade de estudo, prática e inserção no mundo. Desse modo buscaremos, através das discussões propostas, fomentar um debate que busque ampliar esse pressuposto e alinhar um discurso em defesa da escola e de seu caráter público. Para essa problematização acerca da escola e de seus aspectos, os trabalhos inscritos – provenientes de pesquisas (concluídas ou em andamento), de práticas escolares, ou de ensaios filosóficos – deverão abordar, preferencialmente, temáticas relativas a BNCC, a Reforma do Ensino Médio, ao Plano Nacional da Educação – PNE, a Inclusão/exclusão de sujeitos dos processos escolares e suas possíveis relações com os diversos significados da violência.

Eixo temático 6: Epistemologia, Narrativas e Formação

O presente eixo tem como principal objetivo proporcionar uma discussão a respeito dos diferentes modos de significação filosófica da vida em espaços de formação. Visa explorar a relação da filosofia com a literatura, a música, artes plásticas e outras formas de expressão artístico-culturais. Desse modo, a discussão vista indicar a importância do contato com diferentes registros de pensamento, bem como a abertura para narrativas academicamente pouco convencionais no processo de formação de adeptos do ensino e da pesquisa na área de filosofia. Além disso, visa contribuirpara a formação de um pensar com competência comunicativa, a partir do diálogo com várias correntes do pensamento contemporâneo, bem como o levantamento de algumas aporias da reflexão contemporânea relacionadas com modelos reflexivos da tradição filosófica, a fim de elucidar hermeneuticamente seus pressupostos éticos e históricos.

Eixo temático 7: Experiência, Infâncias e Educação

Tendo em vista que os discursos educacionais que dominaram a educação brasileira nos últimos 30 anos exerceram um poder de matriz do que poderia se pensar e fazer em educação, se faz importante retomar outras formas de se compreender a atividade educacional na contemporaneidade. Nesse sentido, a palavra experiência retorna ao cenário educacional como possibilidade de colocar em movimento outros sentidos possíveis para pensar a relação entre filosofia e educação. As infâncias, por sua vez, trazem a possibilidade para o novo, um deslocamento do pensamento, uma nova experiência, bem como auxiliam a problematizar o lugar da experiência a partir da análise de rastros das memórias. Essas trajetórias narradas revelam identidades docentes e discentes registradas em memoriais de formação, possibilitando a constituição de uma cartografia das experiências. Deste modo, o eixo busca fomentar a discussão entre experiência, infância e suas interfaces com a educação. 

Eixo temático 8: Diferença, Educação e Arte

O eixo tem por objetivo principal promover discussões a respeito do pensamento da diferença em diálogo com educação e artes, que congrega contribuições teóricas de Espinosa, Nietzsche, Bergson, Foucault, Deleuze e Guattari, entre outros, bem como visa problematizar o conceito de diferença no mundo contemporâneo. Além disso, o eixo se propõe a discutir aspectos artístico-pedagógicos que incorporam tais temáticas no processo de formação docente e ensino das variadas linguagens (artes visuais, artes cênicas, dança, música, teatro) em espaços formais (educação básica e ensino superior) e não formais de educação. Desta forma, serão debatidas pesquisas (concluídas ou em andamento) que versem sobre os temas da filosofia das diferenças em articulação ou elegendo um dos três temas em específico, considerando as possibilidades da emergência de um pensamento pluralista e inclusivo.

Eixo temático 9: Diversidade, Violência Simbólica e Educação

A violência é um tema quem acompanha a humanidade em diferentes tempos históricos, atravessando gerações, contextos, conceitos de etnia, gênero, faixa etária, áreas de estudo, entre outros. A violência ao mesmo tempo em que é um fenômeno contextual que exige uma leitura da perspectiva dos sujeitos implicados, é também plural na sua polissemia, nas formas de manifestações e complexidade. Uma especificidade é a violência simbólica por ser um mecanismo de legitimação de crenças, comportamentos, visões de mundo, imposta socialmente aos sujeitos como regra, não reconhecendo o outro na sua diversidade e ameaçando a sua autonomia. No âmbito escolar é emergente a discussão sobre a(s) violência(s) que vem incidindo sobre a própria subjetividade em desenvolvimento, pois ela deixa marcas indeléveis, ainda que, por vezes legitimada em sua invisibilidade.  A proposta desse eixo é problematizar tais situações e conceitos e, principalmente, socializar a produção teórico/prática sobre as temáticas da Diversidade, Violência Simbólica e Educação como uma aposta na confluência do campo para produzir sentidos e ações para a prevenção da violência escolar em curso no país.